por Bernardo Brum

Abel Ferrara soube como ninguém utilizar-se do cinema para costurar uma visão de mundo fria, realista e deliberadamente underground. Seus filmes não são fáceis. São pedradas emocionais intensas e violentas que já provocaram muita controvérsia  todas as vezes que tiveram algum contato com o grande público. O Rei de Nova York, talvez sua grande obra-prima, funde crime organizado, hip hop, expressionismo alemão, tiroteios carniceiros e o melhor da filosofia niilista e viciosa do diretor.

E se uma imagem vale mais do que mil palavras, experimente noventa delas.

Crítica

5/5

Ficha técnica: O Rei de Nova York (King of New York) – 1990, Estados Unidos.  Dir.: Abel Ferrara. Elenco: Christopher Walken, David Caruso, Wesley Snipes, Steve Buscemi, Laurence Fishburne, Vanessa Angel, Erica Gimpel

Anúncios