– por Michael Barbosa

Assistir e escrever sobre esse telefilme de produção da HBO vale a pena por três razões bem pontuais: ver Al Pacino com seus 70 anos em um daqueles papéis mais contidos do que chiliquentos e histéricos interpretando uma das mais controversas figuras da história recente dos EUA; por Barry Levinson, diretor dos oscarizáveis Avalon, Bugsy, Justiça Para Todos e Quando os Jovens se Tornam Adultos, e vencedor do prêmio de melhor diretor por Rain Man entregar seu mais maduro trabalho no tão subjugado espaço dos filmes para televisão; por fim e principalmente pela aula de tratamento e desenvolvimento temático que You Don’t Know Jack é ao ser instigante, adulto, fugir do maniqueísmo e dar espaço para que o inevitável julgamento moral seja feito pelo espectador.

Jack Kevorkian, também conhecido como Dr. Death, foi um sujeito que caminhou durante sua vida e caminhada pública e profissional em uma inacreditavelmente tênue linha que fez dele para alguns um sujeito fantástico, humanista e idealista e para muitos outros o mais ousado serial killer da história, responsável pela morte de mais de 130 pessoas. Como? Inventando a máquina do suicídio e a emprestando e auxiliando no uso de todo indivíduo doente, não-deprimido e decidido a dar um “basta”. Não se tratava de eutanásia, mas sim de pessoas conscientes e capazes de pensar por si que queriam morrer por livre e espontânea vontade, Jack era a “mão amiga”, o empurrãozinho.

E é essa história que Levinson, apoiado de um Pacino grandioso e inspirado, em uma das grandes atuações de sua carreira (sim!) se propõe a contar. Com uma narrativa fragmentada morte a morte (ou assassinato a assassinato, se preferir), o que temos é um drama competente e que consegue de desprender de algumas amarras comuns aos telefilmes. E é realmente curioso ver que um diretor que passou pelos grandes estúdios tenha encontrado seu espaço para um projeto tão interessante apenas na televisão, mas que bom que a HBO de grandes séries e documentários consiga se colocar como válvula de escape.

No mais é inegáveis que há erros, lá pelas tantas vemos falsas declarações que dão ao filme momentos de pseudo-documentário bem dispensáveis. O elenco de coadjuvantes conta ainda com John Goodman (o querido Walter de O Grande Lebowski) e Brenda Vaccaro. Ainda que pouco ousado na linguagem e com seus deslizes é um filme para ser visto e, principalmente, pensado.

4/5

Ficha Técnica: You Don’t Know Jack – EUA, 2010. Dir.: Barry Levinson. Elenco: Al Pacino, Susan Sarandon, John Goodman, Danny Huston, Brenda Vaccaro