por Bernardo Brum

Transgressão significa a ação humana de atravessar, exceder, ultrapassar, noções que pressupõem a existência de uma norma que estabelece e demarca limites.

(fonte: Wikipédia)

O que define um filme como transgressor?

Difícil dizer que todo filme que lance uma inovação técnica seja transgressor. Difícil também, dizer que um filme que não traz nada de novo em matéria de linguagem ou tecnologia possa ser transgressor.

Todos os filmes selecionados aqui não são transgressores pelos mesmos motivos. Alguns deles foram responsáveis por quebrar todos os paradigmas até então. Outros, por suas temáticas ou determinadas cenas, ou por simples distinção de abordagem causaram polêmicas socio-culturais sem precedentes, tornando determinadas frases, cenas ou personagens símbolos de toda uma geração.

Assim, o leitor pode e deve discordar se acha esse ou aquele filme transgressor ou não. Tudo aqui é discutível, inclusive fatos e parâmetros.

Do filme que revelou que o cinema poderia ser o mais poderoso narrador de histórias àquele que criou uma indústria à parte na economia mundial, passando por aqueles que consagraram gêneros, aqueles que discutiram, analisaram e criticaram a sociedade, agindo de forma ativa ou passiva ao longo desse século e pouco de cinema, está um pouco de cada aqui.

O cinema é fruto do meio e agente do mesmo. Se continua sendo fato ou não, discutamos aqui.

– Cronograma Especial Cinema Transgressor –

Dia 1: Tempos Modernos (Charles Chaplin), por Bernardo Brum
Dia 2: O Gabinete do Dr. Caligari (Rober Wiene), por Murilo C. Ceccone
Dia 3: O Encouraçado Potemkin (Sergei Eisenstein), por Murilo C. Ceccone
Dia 4: O Nascimento de Uma Nação (D. W. Griffith), por Lucas Duarte
Dia 5: Teorema (Pier Paolo Pasolini), por Bernardo Brum
Dia 6: O Bandido da Luz Vermelha (Rogério Sganzerla), por Luiz Carlos Freitas
Dia 7: No Tempo das Diligências (John Ford), por Guilherme Bakunin
Dia 8: Metrópolis (Fritz Lang), por Luiz Carlos Freitas
Dia 9: Star Wars IV: Uma Nova Esperança (George Lucas), por Guilherme Bakunin
Dia 10: Hiroshima, Meu Amor (Alain Resnais), por Cauli Fernandes
Dia 11: Laranja Mecânica (Stanley Kubrick), por Cauli Fernandes
Dia 12: Cidadão Kane (Orson Welles), por Luiz Carlos Freitas

Anúncios