vaeveja4

– por Cauli Fernandes

Este filme é um impacto. Durante os seus 140 minutos, vemos um adolescente bielorrusso chamado Florya dentro da Segunda Guerra Mundial, do lado antinazista, lutando contra inimigos, conhecendo e perdendo gente, vagando por campos totalmente vazios de existência, tudo da forma mais brutal possível.

Mas tudo isso seria bonito se não fosse o horror da guerra e o olhar do diretor Elem Klimov, e esses dois elementos tratam de destruir com vigor a beleza provável. Os campos antes citados seriam visitáveis se não fossem os lampejos dos tiros e a neblina densa; as cabanas da vila de Florya poderiam ser aconchegantes se não houvesse comida estragada e defuntos ao redor; o rosto dos dois simpáticos protagonistas poderiam aparecer em Hollywood se … Bem, chega.

O início é numa praia, onde Florya e amigos estão escavando a areia em busca de armas (olha a destruição de novo) para ir à guerra. Depois, em casa, ele é recrutado e parte para a ação. Conhece Glasha, uma companheira que ameniza a dor que sente e coleta na sua caminhada.

A partir daí, temos uma descida até o fim do abismo da paranóia, do medo, na pele de um jovem que envelhece no inferno aos poucos. A câmera se esforça (e consegue) em captar cada estágio na espiral de insanidade que Florya anda, sugando o seu rosto expressivo para dentro da lente. Não só as suas expressões, mas tudo flui para fora da tela e machuca para quem assiste ao filme. Se nós, meros mortais, não temos coragem de encarar a história da nossa espécie de frente, de “ir e ver”, o cinema, esse sublime arte, vai lá e traz até a gente.

Mas, como disse, nada ameniza o terror, mesmo eu e essas minhas bonitas palavras. Os mortos já foram mortos, a esperança foi ceifada e crianças continuam nascendo. Sim, há momentos de poesia e descanso, como um cochilo na floresta, uma bela menina dançando somente para nós, mas as bombas sempre acabam chegando. E destroem.

E o que fica é o rosto do ator Aleksei Kravchenko, sujo de lama, de sangue, de culpa, de história.

5/5

Vá e Veja (Idi I Smotri) – 1985, URSS. Dir.: Elem Klimov. Elenco: Aleksei Kravchenko, Olga Mironova.

Anúncios